Pensadores, precisam-se!

01-10-2008 01:55

“Reflectir” e “pensar” são das palavras mais empoeiradas, na actualidade. 


Formar pensadores exige tempo. Nos dias que correm, tirar tempo para meditar antes de decidir é considerado quase um “sacrilégio”. A mensagem que nos chega é a da rapidez, do imediatismo, do já, aqui e agora.

Augusto Cury caracteriza bem o nosso tempo. “É a geração que quer tudo no imediato, pronto, sem ser necessário elaborar nada, sem ser preciso batalhar para conquistar. É a geração que não sabe unir a disciplina aos sonhos, que procura usar processos ‘mágicos’ para lidar com as suas frustrações, que tem dificuldade em pensar antes de agir.”1

PENSADORES
Os pensadores não consomem tudo, movidos apenas pela beleza passageira, pelas emoções e a vida dos resultados a curto prazo. Eles olham para além do espelho, além das comparações com o padrão hiper-exigente do mundo e do seu grupo de pares. Eles observam a beleza que vêem na alma.

Os pensadores querem ir além da superfície. Eles aprofundam-se. Eles gerem aquilo que lêem, vêem e escutam e criam as suas próprias ideias, baseados nas convicções que têm construído ao longo da vida.

A nossa sociedade promove cada vez mais os “fazedores” e menos os pensadores. Porquê?

O MAIOR DOS PENSADORES
Há cerca de dois mil anos, um homem desafiou os parâmetros sociais, religiosos e intelectuais da Sua época. Uma vida exemplar, do princípio ao fim. Uma morte eficaz, vencida ao 3º dia para nos dar liberdade. Liberdade de pensar. Liberdade de amar. Liberdade de viver do modo como Deus  planeou que vivêssemos – desde o início.

Pensemos nos relatos de Mateus, Marcos, Lucas e João –contemporâneos e companheiros de Cristo. Ao lê-los, verificamos como a Sua capacidade de apresentar princípios, ilustrações e sublinhar verdades deixou esperança aos simples, despertou curiosidade em alguns e desmoronou os argumentos dos religiosos.

Cristo veio abrir as janelas do coração do homem, através do Seu amor, e soltar as mentes presas a pensamentos sujos, negativos e escravizantes, que limitam a visão, o amor e a vida.

Ele deseja que cada ser humano seja livre do pecado, que domina o desejo e a mente. Ele quer que cada pessoa experimente, a cada dia, uma proximidade e intimidade com a Sua Palavra e com Ele, para que possa continuar a transformar-nos.

Jesus Cristo pôs os Seus contemporâneos a pensar e desafiou-os a mudar. Naquele tempo isso custou-Lhe a vida. E no nosso? Talvez seja precisamente isso que hoje rejeitamos, movidos pelo pragmatismo exagerado, mas Ele anseia mudar a nossa natureza. De robots comandados pelos desejos e estímulos errados, para pensadores livres para serem transformados - continuamente.

“Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.”  (1 Coríntios 2:16).

“E nós cristãos, sem véu de espécie alguma sobre os nossos rostos, somos como espelhos que reflectem a glória de Deus. E vamo-nos tornando cada vez mais semelhantes à imagem do Senhor, a qual reflectimos também cada vez mais fielmente.” (2 Coríntios 3:18 – Versão “O Livro”).

Ana Ramalho


1 Augusto Cury; Filhos Brilhantes, Alunos Fascinantes; Pergaminho
 

in revista Novas de Alegria, Outubro 2008