Não vás em Deolindas!

02-03-2011 22:14

É tempo de fazer História... à maneira de Deus

 

Eu não vou em “Deolindas”. Lamento desiludir todos os cristãos mais propensos a uma boa manifestação anti-governo – espero que não façam nenhum protesto anti-ana ramalho no final. Provavelmente vou trair as raízes familiares que do lado feminino da minha ascendência se destacaram por um vermelho revolucionário.

Não vou atrás de cantigas que espelham a realidade num tom negativo, mas não oferecem um caminho. Empolam o tão português queixume mas não dão uma mensagem de esperança, uma solução. Já estamos suficientemente em baixo como nação para cantarmos “Que parva eu sou” sem pensar, renunciando à nossa identidade como cristãos.

 

QUEM DITA A TUA IDENTIDADE?

Na convocatória da manifestação de 12 de Março, todos são convidados. Para meu espanto, muitos dos que se dizem seguidores de Cristo entram na onda, vão atrás do grito de revolta, mesmo que pacífico... pena não termos todos o mesmo empenho quando nos convocam para marcharmos por Jesus.

Não estou com todo este discurso meio irónico porque vivo num mundo fechado e ignoro a crise, os cortes de apoios, a subida de impostos, a luta de muitos jovens recém-licenciados por uma oportunidade de trabalho, etc. Tenho amigos nessa situação, cristãos e não cristãos. Devemos reconhecer a realidade mas procurar um caminho, uma resposta e não esperar apenas que sejam os outros a fazê-lo por nós. Mas penso que a nossa postura como seguidores de Cristo não pode ser a mesma da maioria. Precisamos parar e pensar.

Os cidadãos do Reino de Deus são chamados a fazer manifestações todos os dias - manifestações de amor, pacificadoras, misericordiosas, de coragem, empenho, excelência e obediência. Perder a coragem e reclamar é muito fácil. Confiar que Deus está a cuidar de nós é mais difícil. Mas Ele ainda é Deus.

“Não andem preocupados a dizer: ‘Que havemos de comer? Que havemos de beber? Que havemos de vestir?’ Os pagãos, esses é que se preocupam com todas essas coisas. O vosso Pai celestial sabe muito bem que vocês precisam de tudo isso. Procurem primeiro o reino de Deus e a sua vontade e tudo isso vos será dado. Portanto, não devem andar preocupados com o dia de amanhã, porque o dia de amanhã já terá as suas preocupações. Basta a cada dia a sua dificuldade.” (Mateus 6:31-36, versão “A Bíblia para Todos”)

Eu sou da geração eleita, mesmo que não tenha remuneração. Eu sou do povo querido de Deus, mesmo que nenhuma empresas me queira receber. Eu pertenço a uma nação santa, mesmo que esteja rodeada por um sistema corrupto deste mundo em que sou peregrina. Quem dita a minha identidade não é uma canção, um rótulo – é Cristo. Se Ele morreu por mim eu devo valer a pena. Se Ele prometeu que me daria o que preciso, devo confiar que fazendo a minha parte, Ele fará a d’Ele.

 

“COMO É QUE DEUS ME VAI AJUDAR?”

Faz o teu melhor, fala com pessoas que estejam no mercado de trabalho, procura alternativas à tua área de estudos e vê se tens hipótese noutro país. Procura pessoas que possam estar contigo nesta fase. Acima de tudo ora a Deus e confia na Sua provisão. Pensa nas soluções e não pares de lutar porque o teu Pai amoroso que está no Céu está interessado em cuidar de ti. Aconselha-te, planifica, informa-te, ora e tenta. Senão conseguires, tenta de novo. Não desistas!

Quantas associações de cariz social das nossas igrejas, e não só, precisam de voluntários enquanto ficamos a isolados em casa, entregues à desmotivação? Talvez o contacto com realidades bem piores do que a nossa nos torne mais gratos a Deus pelo que temos e somos e nos tire esta tendência de não vermos como Ele vê.

Estão-se a abrir portas para pessoas com formação superior noutros países. Imaginem o que será quando jovens cristãos licenciados aceitarem o desafio e forem não apenas para encher os bolsos de dinheiro mas o Céu de portugueses e portuguesas que emigraram também? Sei do que estou a falar porque pessoas bem perto de mim, já com mais de 50 anos, foram para um país estrangeiro e começaram do zero há poucos anos. Não ficaram a “Deolindar” por aí à espera que as coisas mudassem. E como estes heróis, que me trouxeram ao mundo, outras pessoas têm tomado outros rumos.

Talvez o nosso (meu) problema seja estarmos habitados a ter tudo por garantido e agora, porque a crise se expandiu, a nossa segurança no sistema e nas coisas estar a dissipar-se mais e mais. Provavelmente pensávamos que ser filhos de Deus era ter tudo sempre de bandeja, sem lutas, sem provas de perseverança, sem perdermos o controlo para podermos entregarmo-nos totalmente a Ele – e não apenas dizermos que Ele é o Senhor – em especial quando tínhamos os papás com um emprego, quando ainda nos podiam sustentar.

 

FAZER HISTÓRIA... É AGORA!

Em vez de recitarmos hinos alheios de queixumes numa espécie de fado arruaceiro, dobremos os joelhos para orar, arregacemos as mangas para vasculhar soluções, sempre conscientes de que não são cartazes exigentes que cuidam de nós, nem brados revolucionários que são o nosso sustento - ele vem de Deus.

A nossa esperança no sustento de Deus, e a nossa confiança nas Suas promessas, assumindo o nosso papel conscientemente no processo vão mostrar a diferença e levar-nos a ajudarmos outros que nos rodeiam a entregar as suas vidas ao nosso Pai.

Há anos atrás cantávamos emocionados que queríamos fazer História nesta nação. Deus ouviu-nos. Este é o momento.

“Jovens, sejam obedientes aos mais velhos. Sejam todos humildes uns para com os outros, pois a Escritura diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes. Sejam humildes, portanto, e submissos ao poder de Deus, para que ele vos eleve no devido tempo. Confiem-lhe todos os vossos problemas, porque ele se preocupa convosco.” (1 Pedro 5:5-7, versão “A Bíblia para Todos”)

 

Ana Ramalho

Tópico: Não vás em Deolindas! - opinião

Data: 10-03-2011

De: Ana Ramalho

Assunto: Esclarecimento

Em relação ao tema deste texto, deixo aqui uma explicação para clarificar a minha posição.

Não sou contra a música mas contra a ideia atrás da forma de pensar desta geração - que a música apresenta.

Na minha opinião (sem generalizar), há uma serie de pessoas que vai para a rua protestar mas que nunca teve uma atitude proactiva na procura de uma alternativa. E isso inclui cristãos.

A não esquecer que a "herança" que recebem da geração anterior, fazendo tudo - incluindo endividamento - para dar tudo criou em muitos jovens a falsa ideia de que bastar querermos e as coisas acontecem.

Passámos muito tempo a viver acima do que podíamos e a querer dar a falsa sensação que vivíamos num país rico. Entrámos no facilitismo da subsidiodependência. Não existem 10 milhões de portugueses com esta mentalidade, mas infelizmente existem muitos.

Esta mistura explosiva social, numa geração que exige direitos mas ignora deveres, é perigosa. Que as coisas estão mal já todos sabemos. Precisamos realmente investir tempo em pensar alternativas, estratégias e, como cristãos e igreja, estar realmente envolvidos em ajudar pessoas, famílias, cidades.

Data: 10-03-2011

De: Pseudo

Assunto: Re:Esclarecimento

Concordo totalmente.
Foi claro e inequivoco,houve uma abordagem diferente;na minha opinião,foi vago o suficiente no que tinha que ser,especifico no que tb tinha que ser,e salientou uma opinião sem provocar para si o centro evolutivo da solução,partilhou uma visão dum problema e uma opinião sobre o mesmo.
Certo!
Concordo com a abordagem e com a opinião.
"facilitismo da subsididependencia"tal e qual,verdade inegável.

Cumprimentos.

Data: 04-03-2011

De: Tiago Moisés

Assunto: Mas que pena

Mas que pena tenho eu de a Dª Ana Ramalho ter eliminado o meu comentário, sem que explicações ou correcções me tenha fornecido, como boa Cristã se apresenta ser, ter feito a censura e ainda protagonizar a rudeza de deixar uma mensagem que pretende inferir más atitudes em relação à minha pessoa, não é certamente de Cristão.

Mas Deus terá os seus motivos, aceito o dano que me pretende infligir e entrego a Deus, pois aquilo que fez vai para além da minha compreensão.

No mínimo deveria ter deixado o joio e o trigo terem crescido juntos até à ceifa, pois as boas ou más acções ficam bem ou mal a quem as faz.

E quem sabe se o nosso dialogo poderia ajudar alguém, quiçá a mim próprio a encontrar a verdade que diz viver, mas que infelizmente não conseguiu demonstrar por práticas.

Mas continuo aguardando que me dê essa oportunidade, tenho todos os posts e poderei faculta-los caso queira repor e assim consigamos ver onde e se errei, e qual o melhor caminho a trilhar.

Data: 05-03-2011

De: Ana Ramalho

Assunto: Re:Mas que pena

Caro Tiago tem liberdade para dar a sua opinião mas denegrir seja quem for ou que instituição for dá-lhe o direito de ser banido do Facebook (não sei se conhece as regras do facebook).

Penso que como cristãos se temos algo a dizer não é desta maneira pouco correcta e construtiva.

Não faço censura a nenhuma opinião contrária à minha ( pode constatar aqui mesmo neste site ), mas não permito (nem o Facebook é favorável) a que seja denegrida qualquer pessoa ou instituição no meu mural. Neste caso, usou o nome de uma instituição claramente e isso não é correcto, nem como Cristão, nem como utilizador das redes sociais.

Data: 05-03-2011

De: Tiago Moisés

Assunto: Re:Re:Mas que pena

Estimada Ana,

Aquilo que refere é falso, será que dispensou tão pouca atenção ao escrevi que se esqueceu de utilizar o bom-senso na interpretação dos factos que são públicos.

http://www.portalevangelico.pt/ass_missao.asp

Existe ou não défice de igrejas evangélicas em Portugal, !?

E além do mais a denominação Assembleia de Deus não se limita à Portuguesidade, mas também a milhares de Assembleias de Deus radicadas directamente do Brasil, etc.

É facto ou não que o ensino bíblico que se dá nas escolas dominicais e etc, perde a maior parte dos individuos apartir dos 15 anos e que estes só regressam a partir dos 30 anos, quando a vida se tornou mais dura e dificil?

E olhe que não sou o único a afirmá-lo, pode ver o Pastor Paul Washer, por exemplo, que tem vários discursos sobre esse fenomeno.

E pode ver que quando alguém faz algo que pode não estar certo, desagradar, ou ser incomodo, a maior parte dos crentes não procura compreender, esclarecer, perdoar, etc, mas antes imediatamente procura censurar, banir, denunciar,etc, como é o caso que no facebook afirma ter tido, a acção de me denunciar à administração do mesmo, sem que me desse oportunidade de caso estivesse errado repor aquela que tivesse sido a verdade real apurada, mas mais uma vez reagiu a quente e mostrou que tipo de ensino se fornece aos crentes, nem tampouco me informou antecipadamente de qualquer das suas pretensões, chama-me mal educado, mas remete-me ao silencio forçado, sem me dar tempo útil para explicar o que afirmei.

Não só apagou os meus textos, o que no limite poderia estar no seu direito, pois considerou uma ofensa pessoal, mas agora desfere ataques à minha pessoa, sem que me dê o devido direito de defesa e justificação, para que as coisas fiquem esclarecidas e todos a trilhar o bom caminho. Isso já é comportamento de Cristão?

É que contra factos não há argumentos e como se limitou a eliminar os meus textos sem explicação, ou razão, devia antes buscar os fundamentos que sustentam o meu ponto de vista.

Uma última pergunta, quando Paulo escreveu aos Coríntios a 1ª carta, cap 5 e 6, repare nas denuncias que ele fez, em referencia a actos menos bons!

Deixou Paulo de ser um bom Cristão? ou teria de apanhar mais um ciclo de punição de 14 anos dados pelos outros apóstolos, pois o ponto de Vista de Paulo era bem diferente dos restantes.

Ou quando Paulo falou a Pedro em Galatas 2.11-14 e que o enfrentou abertamente, sobre os actos que Pedro praticava, logo este que tinha andado com Cristo, mas quem era Paulo que colocava Pedro em causa?

A Palavra de Deus continua a ser a mesma e poderei eu ler em 1ª de Corintios 4.16 e posso eu ser imitador de todos aqueles que se dizem Cristãos e que me censuraram e que tendo um comportamento que em nada contribui para o conhecimento que se deve andar?

Afirmam que mantenho um comportamento reiterado de má-educação, onde apenas escrevo para ofender as pessoas nos seus murais?! Onde fundamentam tal afirmação? qual foi a correcção ou oportunidade que me deram para ver outro caminho? serei eu algum tipo de besta que apenas merece pancada para aprender, ou serei também um Ser-Humano, filho do mesmo Deus que ordena não fazer acepção de pessoas e que tenho o direito de ser apoiado nas minhas faltas, caso existissem de facto?

Podemos como está ordenado na bíblia, testar os espíritos e conhecer os bons e maus obreiros? e já agora como sugere que se faça isso e que tipo de correcção se deve fazer ao Apostolo Paulo?

Se é pelos frutos que conhecemos os bons e maus, não seria antes melhor antes de me censurar e ofender pessoalmente sem fundamento real apresentado, mostrar-me os bons frutos correspondentes ao que afirma?

Pois os que denigrem as pessoas e instituições são aqueles que cujas obras, e acções necessitam de atitudes rebuscadas para serem justificadas, como é óbvio todas as pessoas e instituições tem aspectos positivos e negativos, e ambos devem ser abordados frontalmente para que o bem aumente e o mal diminua, ou por acaso quer dizer-me que as instituições que defende são apenas constituídas por bem e nenhum mal?

Note uma vez mais que mantenho a mesma forma inicial, de tentar esclarecer e ser informado para depois agir de acordo com o que estiver de acordo com uma vivência Cristã fundamentada na Bíblia, ao qual chamo vida Cristã nas acções diárias e não só no discurso.

Data: 03-03-2011

De: ψευδώνυμος

Assunto: Pouca atenção ao que escrevi.....

pois....na verdade nao leste com atenção ao que escrevi....
quando se escreve para um qualquer publico,cristão ou nao deve-se ter atenção ao que se escreve e como se escreve,deste voltas ao que escrevi mas em nada foste objectiva quando eu o fui na minha critica construtiva,quanto á tua resposta ao meu post...
Se nao queres denunciar nenhuma musica ou banda entao nao nomeies nem nomes de bandas nem musicas das mesmas,isto parece bastante obvio.
Quando escreves que apenas querias alertar....bem,o alertar nao é algo directivo como"nao vás" tu o que fazes é excluir que outros possam ter razão e fazes comentarios simplistas como defensora do pensamento livre e sofredor"alguém tinha que nos por a fazer aquilo que não gostamos porque dói: pensar."
Ou te tens em muita alta ou tens o resto da humanidade que discorda de ti em muita baixa....
Se concorda é bom se discorda não gosta de pensar....
Se é cristão concorda,se é cristão e não concorda nao ve a vida com a perspectiva biblia....
A tua resposta ao meu post denota uma clara e inequivoca falta de sabedoria e propoe algo que nao aceito...."Se ninguém fizer os cristãos pensar no outro lado das questões, é mais fácil seguirem o caminho da maioria. Lamento se isso se pode chamar reclamar. O meu desejo mesmo é alertar, dando ideias e trazendo uma visão bíblica das coisas"
Nota a subtil dica de que te assumes como o"alguem" que leva os cristãos a pensar no outro lado das questoes e que és tambem o "alguem"que traz uma visão biblica das coisas...
Ou seja....há cristãos que per si não vão lá...e desculpa lá mas tens que te retratar dessa postura,a biblia é clara de que ainda que precisemos de guias,nunca podemos depender dos pastores etc para sermos conscios da vida e do que nos rodeia,e a centralidade de Cristo em cada cristão é suficiente para no demais fazer a diferença.
Os cristãos não são parvos e pensam muito bem sobre os assuntos,a nossa inteligencia emocional,espiritual e mental está muito bem e recomenda-se,e por incrivel que pareça existe inteligencia e espiritualidade fora do mundo dos que concordam ctg.
E querida Amélia isto nao é falar mal...chama-se opinar.


Data: 03-03-2011

De: Ana Ramalho

Assunto: Re:Pouca atenção ao que escrevi.....

Não estou a assumir o papel de Guru. Simplesmente quis alertar para as pessoas que nunca tinham visto o assunto desta maneira - até por conversas que já tive com algumas pessoas que não pensaram no outro lado da questão.

Penso que não é com ataques pessoais, nem com misturas de temas que não estão em cima da mesa, que conseguimos ter um debate sério.

E estou apenas a opinar.

Data: 03-03-2011

De: ψευδώνυμος

Assunto: Re:Re:Pouca atenção ao que escrevi.....

De novo nao respondes ao que te digo e não te retratas do que afirmas....
Um debate é feito quando se rebate ou debate o que é dito...até agora não o fizeste,nem de longe nem de perto,tenho debatido o que tens escrito e expondo o que escreves cito-te e opino,tu em nada tens sido substancial na resposta,o debate tem sido unilateral,sou eu que tenho rebatido os teus argumentos e ideologia firmada e apoiada pelo que escreves.
O que escreves é o que me dá espaço para escrever em resposta,se não consegues rebater o que te digo nao o chames de ataques pessoais ou falta de seriedade,considera apenas a tua dificuldade em contrapor os obvios enganos que te tenho apontado.

O meu alvo nao é convencer ou vencer algo,apenas te mostrar que neste artigo que escreveste esticaste a coisa e assumiste coisas que nao devias sobre uma classe de pessoas que nao devias(Cristãos).
Nem a biblia,nem os cristãos te concedem a espada da defesa da verdade,que neste caso é uma verdade relativa e opinativa.
a unica espada que podes usar é a da verdade biblica como ensina a biblia mas neste caso a opinião é pessoal e em nada podes te fazer usar de argumentos biblicos,nem a hermeneutica to permite.

Devias apenas dar a tua opinião e nao categorizar comportamentos,mentalidades nem de uma geração que nao representas,nem dos cristãos que tambem não representas.
Cada cristão é representativo de um universo pessoal,tal como cada individuo.

Saiste do individuo para generalizar a tua opinião...perdeste o norte.

E a tua opinião vale o que vale(que na minha opinião vale bastante)mas quando poes Deus,Biblia,cristãos na conversa tens que ter mais do que frageis argumentos para dizer que a maioria está a pensar mal e tu representas a minoria certa,pois eu por exemplo nao penso como tu por isso faço parte da maioria ou minoria?

Deus,a Biblia,cristãos é assunto sério e quando os queres alertar tens que ter cuidado para que nao te percas na tua propria opinião e te diluas em representatividades nulas e estéreis que nao te competem.

Ana....nao se acerta sempre!:)

Data: 07-03-2011

De: Pseu

Assunto: Re:Re:Pouca atenção ao que escrevi.....

Presumo que o dito"debate"tenha terminado já que não recebi resposta nem do amigo ricardo nem da Ana.....

Data: 03-03-2011

De: Ricardo Jorge

Assunto: Re:Pouca atenção ao que escrevi.....

Pseudónimo, não querendo entrar em considerações pessoais, não vejo qual o aspecto que seja criticável no texto. É claro, simples e demonstra o ponto de vista de uma pessoa. Agiu em conformidade com a sua consciência e não introduziu comentários sobre maior ou menor padrão de humildade, espiritualidade ou o que quer que seja.

A extrapolação e a generalização são normalmente usadas quando queremos ver o que não existe ou então quando queremos arranjar argumentos "porque sim". Neste caso, em vez de se debater ou comentar o texto, está-se a saltar para argumentação infantil contra a autora, porque não se concorda com a sua opinião, dando já indicações sobre o que a mesma tem que fazer ( já agora, retratar é o acto de tirar retratos, deduzo que queira dizer retractar ).

Alguns cristãos pensam muito bem sobre vários assuntos, outros muito mal, outros executam bem, outros menos bem. Resumindo, são falíveis como o resto do mundo, seja cristão, muçulmano, ateu, agnóstico, hindu, animista, etc. Está a criar uma generalização ao falar por todos, quando não tem condições de o poder suportar como argumento.

Findo isto, comente-se o texto ( quer se goste ou não ) mas tenha-se o bom trato de não divagar por ataques ad hominem.

1 | 2 | 3 >>

Novo comentário