“É norMAL!” quando o mal é a norma

30-06-2010 00:37

Dedico estas rimas aos manos do Hip-hop cristão, em especial ao Ministério Atalaia. Fiz o meu melhor mesmo não sendo a minha praia!

Dizes “É norMAL!” hoje o Mal é a norma

Se dizes sim a tudo, Igreja, ficas morna

 

Queremos muitas luzes e menos compromisso

Um cristianismo sim, mas que não nos dê juízo

Reclamamos por tudo e por nada

Principalmente se nos pregam a Palavra

 

“Porque é que não há mais entretenimento!”

Gritamos quando Deus no tira o sossego

E vivemos num ciclo perigoso

Fazemos o que queremos, só mesmo pelo gozo

 

E continuamos a levantar as mãos

Mas não deixamos Deus mudar o coração

Do coração vem a decisão

Antes do gesto está a intenção

 

E lentamente, Jesus fica de fora

Igreja adormecida, ainda assim implora

Quer ver sinais, quer um avivamento

Mas continua a viver pelo seu pensamento

 

Prossegue o conforto, dilui a verdade

Mistura o certo com a impiedade

Sem querer, sem darmos por nada

O mal chega mesmo pela porta de entrada

 

E para satisfazer o povo consumista

Trabalha-se o discurso meio imperialista

Fala-se muito de prosperidade

Se eu sou pobre não sou crente de verdade

 

Cria-se uma cultura idealista

Família feliz, tipo capa de revista

Os problemas, escondemos a razão

Não vá alguém conhecer o nosso coração

 

Entra o humanismo. Entra o consumismo.

E pior que isso, entra o modismo.

Vamos buscar efeitos especiais

Em vez de rogar pelos sobrenaturais

 

Queremos tudo à nossa medida

Se o irmão não tem, que importa a sua vida?

O que importa é eu ter prazer

Ter o que quero e sem sofrer

 

Caímos mil vezes por arrogância

Achando que o diabo nos quer à distancia

E choramos “baba e ranho” no retiro

Mas quando vem a prova, caímos num suspiro

 

Não nos interessa muito a verdade

Vivemos no morninho da nossa vontade

É duro demais o frio da sociedade

O ficar sozinho, na hora da verdade

 

É melhor duas vidas distintas:

Se é hipocrisia estamo-nos nas tintas!

E os sintomas da nossa mornidão

São contrários ao calor da consagração

 

Ler a Bíblia? Isso não interessa

Projectem os versículos, que nós temos pressa

Não temos pressa para pular e chorar

Viver de emoções sem termos que pensar

 

O pensamento é uma agonia

Deixar Deus trabalhar e ver a luz do dia?

Nem pensar. Estamos bem assim.

“É norMAL” e não pensem mal de mim

 

Preferimos estar perdidos nas nossas fantasias

Que ser encontrados nas nossas agonias

Preferimos adormecer na utopia

Que descobrir a realidade dura e fria

 

Estamos perdidos, na casa do Pai

Mas sabemos tudo, ninguém nos diga um “Ai

Tem cuidado, mano, por onde vais!”

Toma tu cuidado, sou maior e vacinado

 

É verdade que também há sinceridade

Que há quem gema por amor à verdade

Que há quem chore por santidade

E quem ame o próximo com piedade

 

Mas perdemos a nossa simplicidade

Perdemos o amor puro à verdade

Mas o Senhor continua a insistir

E vai tentar, vai persistir

 

E a porta da Graça e Verdade

Irá-se fechar antes da eternidade

Ou acordamos ou morremos na maldade

Julgando ser donos da nossa liberdade

 

Dizes “É norMAL!” hoje o Mal é a norma

Se dizes sim a tudo, Igreja, ficas morna

 

 

Tópico: “É norMAL!” quando o mal é a norma - opinião

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário