A homenagem

01-07-2008 01:30

A notícia acerca de uma mulher muito especial, que me fez lembrar Alguém ainda mais especial.

Dizia a notícia que acabara de falecer uma heroína polaca, com 98 anos. Ela, Irena Sendler, “organizou a saída de cerca de 2500 crianças do Gueto de Varsóvia durante a violenta ocupação alemã, na Segunda Guerra Mundial”1. Sendler e a sua equipa conseguiram, durante dois anos e meio, iludir os nazis e salvar duas mil e quinhentas vidas de irem para os campos de concentração. Crianças, bebés e adolescentes eram disfarçados sob a forma de pacotes e encaminhados para orfanatos, fábricas ou famílias.

Cada homem e mulher nasce como essas crianças, num mundo ocupado pelo sistema cruel de um ditador - Satanás.

Tudo começou com a cedência de Adão e Eva. O argumento de Satanás era sedutor e fê-los pensar que poderiam ser como Deus. Ao desobedecerem ao Criador, “venderam-se” ao inimigo. Entregaram-se, e entregaram a sua descendência, ao domínio de um ditador anti-humano. Por isso, hoje estamos longe da verdadeira liberdade.

Estamos presos desde que nascemos, sem termos a noção disso. A felicidade passageira que vamos consumindo no momento, não ocupa o vazio interior. Podemos dissimular os nossos sentimentos, mas isso não impede que por vezes nos sintamos perdidos quanto ao rumo da nossa vida e presos, sem um sorriso no coração.

Felizmente, Alguém Se preocupou com o nosso estado. Jesus, o Filho de Deus, veio para nos mostrar a nossa condição caótica. Ele também veio para nos dar a verdadeira liberdade – aquela que permite ao homem viver de acordo com o Plano do seu Criador.

Irena e a equipa puseram as suas vidas em risco para preservar a vida de outros. Jesus deu a Sua vida para tornar disponível a vida eterna a todos. A Sua morte pela nossa vida. Vida eterna, significa desfrutar de comunhão com Deus desde o momento em que se aceita Cristo como o Libertador, e viver em conformidade com a Palavra de Deus, por causa dessa comunhão, demonstrando que Ele é o Senhor, o nosso Governador.

Nenhum homem fez algo para merecer essa liberdade, mas porque Ele nos amou, Ele veio e disponibilizou-a para todos os que desejam.

Se a vida daquelas pessoas vale a homenagem do mundo a Sendler, quanto mais não deveria a humanidade oferecer a grande homenagem a Cristo, todos os dias? Mais ainda, não devíamos nós, como cristãos, liderar a pronuncia de palavras sentidas acerca de Jesus e vidas submissas à Sua vontade, todos os dias? Afinal, vamos fazê-lo por toda a eternidade.

“Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.” (Hebreus 13:15). “Fazei tudo para glória de Deus.” (1 Coríntios 10:31 b).

Ana Ramalho


1 publico.clix.pt, 12 de Maio de 2008

in revista Novas de Alegria, Julho 2008